A simplicidade de Super Mario RPG

Um texto mais curto do que o normal, para falar sobre um ponto específico de uma das minhas obceções. Super Mario RPG é uma chuva de boas decisões de design pra fazer turn-based RPGs mais ativos e menos maçantes, pra iniciantes, crianças e veteranos no gênero.

Metade de um inventário

Ele busca inicialmente um caminho de simplicidade. Menos opções, mais qualidade e versatilidade. Para acomodar isso, o jogo faz algumas mudanças básicas de design por questões de balanceamento. Por exemplo, na falta de um item para curar cada tipo de efeito singularmente, o jogo introduz o Able Juice que cura todos os efeitos de uma vez. Não há muitas variações do mesmo item, porque os que temos cumprem a maioria das tarefas necessárias. Por isso, existem uma limitação no seu inventário, podendo carregar apenas 30 itens, e itens iguais contam em espaços diferentes. Dessa forma o sistema complementa seus itens, e você precisa decidir melhor o que levar, não sendo apenas questão de ter dinheiro ou não mas uma melhor decisão e gerenciamento dos seus espaços livres.

O jogo é uma aproximação muito mais amigável de um JRPG básico e de todos os Mario RPG ele é o mais RPG que tem, ainda sendo muito acessível. Danos não costumam chegar a mais de 3 dígitos, e o gameplay é todo baseado em timing e aprendizado. Aprendendo as combinações e timings necessários pra cada ação, de atacar a defender. Isso cria um balanceamento interessante, em um jogo que os números importam bem menos, já que você tem maior controle sobre os números e os inimigos, responsáveis pelos números.

Existe uma clara diferença entre o rato vermelho e o rato azul, além do nome, força e vida. Mais importante que o número, o sistema permite ao rato vermelho um timing diferente de ataque, fazendo o jogador interagir diferente com o “mesmo” inimigo ao ter que reaprender a defender os ataques dele. Faz o encontro muito mais individual e o rebalanceamento do inimigo mais efetivo. Esse tipo de sistema age sobre todos os inimigos que você acha, criando encontros muito mais memoráveis e oponentes muito mais únicos, afinal todos eles são diferentes de modos muito mais ativos no gameplay.

Não existem inimigos iguais, e no momento que você vê eles uma segunda vez a estratégia vem automaticamente na sua cabeça. Todo inimigo tem uma peculiaridade específica que fazem deles mais memoráveis e individuais, e isso se faz muito importante pro jogo, afinal a gameplay é muito mais ativa e a interação com os inimigos mais profunda. O que fortemente complementa esse sistema são as opções que seus personagens tem.

Mario!

Tem só 5 personagens, e todos tem uma variação bem grande de utilidade. Mario é o main attacker, até o fim do jogo o que ele mais vai fazer é atacar normalmente, e vai ser seu dano principal nesse meio.

Mallow!

Mallow é seu mago, desde o início do jogo com uma spell que acerta todos os inimigos ao mesmo tempo. Ele tem healing e mais pra frente algumas habilidades mais fortes individuais como shocker, mas ele se torna mais útil por culpa de uma habilidade, do que várias.

Geno!

Geno é um dano mais geral e um auxílio completo em tudo. Um red mage que não toca em elementos, diferentemente usando blasters e habilidades de energia ou físicas, acertando danos mais consistentes em qualquer inimigo por não usar magia elemental.

Fofa!

A Peach é a healer, cobrindo o que Mallow costumava fazer e muito mais. Por ser um personagem focado em uma build defensiva, ela tem mais possibilidade de fraquezas, com menos defesa e ataque, pra acomodar o seu set destrutivo de skills roubadas que fazem tudo.

Grande demais pro bloquinho vermelho

O Bowser talvez seja o único erro, não complementando o sistema muito bem e não tendo tanta utilidade individual, cobrindo as mesmas coisas que o Mario já faz, sendo a força bruta 2. Ele interage com inimigos de formas legais tho. Esses personagens podem ser trocados na party a qualquer momento do gameplay, e o jogo nunca força você a trocar, dando XP igual para todos os personagens, dentro e fora da party. A decisão é sua a todo momento, afinal vão evoluir mesmo sem uso.

A mentalidade de simplicidade é auxiliada com o MP do jogo, os Flower Points, compartilhados entre toda a party e upados com itens – exploração em geral. Isso é balanceamento. Pra não deixar o jogo muito fácil e aprofundar as estratégias – que são pequenas em número – ele coloca mais em jogo. Não é porque o Mario mal usa spells que quando precisar ele vai ter acumulado, porque tudo que ele usar vai contar pro Mallow e Geno. Geno tem poucas spells e todas são boas, algumas são bem mais caras, e essas mais caras não vão apenas afetar o uso do MP do Geno mas do Mallow e da Peach também. Cria um sistema mais simples, embora profundo, com números menores e mais controle estratégico de poucas opções, mas criativas e versáteis.

Flower Points
Inimigos, que você pode ignorar

É uma jornada muito mais lighthearted, e a falta de números é um grande componente nisso. Isso é facilmente apresentado na premissa dos encounters, que não são necessários e todos os inimigos podem ser ignorados. Isso apenas pede que você seja um estrategista melhor nos encounters que você de fato passar, melhor usando as mecânicas e possibilidades que o jogo apresenta. Vejo isso com bons olhos, afinal o drawback de ter inimigos mais complexos e únicos se torna a repetição quando você acha eles muitas vezes, a novelty enfraquece. Desse jeito, o jogo deixa você decidir o quanto você quer lutar com seus inimigos, pelo custo de perder xp, deixando o jogo mais dinâmico e menos maçante.

Thunderbolt the Character

Assim, se torna um jogo menos baseado no seu nível teórico, seus level ups, e só baseado nas suas opções e ações, que como já mencionadas, prezam por versatilidade individual. Um ataque que acerta todos os inimigos desde o início do jogo tem muito mais impacto estratégico do que parece, justamente por acertar todos os inimigos. Mais do que 214324 vezes se torna um ataque principal, e faz jus a um personagem por inteiro, já que o Mallow tem tipo duas utilidades por 80% do jogo, e essa é a maior.

Personagens de One Piece, provavelmente

Isso também faz do jogo muito mais curto, e uma experiência muito mais saudável pra qualquer pessoa, extremamente satisfatório sem estender mais do que deve, porque nem tem o que estender, ele é tudo que precisava e quer ser. Isso se alonga até a história e personagens, cativantes e fofinhos. É uma história simples, com premissas simples, propositalmente pra abrir espaço para uma jornada muito mais descontraída, engraçada, divertida e fofa.

Os diálogos são carismáticos e cheios de personalidade, o mundo é muito vivo e os protagonistas são os melhores acompanhantes em uma aventura que você poderia pedir. Eles também são mais do que os olhos veem em funções narrativas e personalidade, já que o mais popular deles, o Geno, é normalmente visto como sério e edgelord, amas ele é um dos mais comunicativos e amigáveis do grupo. Um orador nas cenas de explicação que são bem animadas e bonitinhas, e bastante filosófico e determinado. O próprio Mario é talvez o melhor personagem do jogo, um protagonista silencioso mas que fala muito mais do que todos os personagens juntos com gestos e sprites expressivos. É uma apresentação simples que mostra muito amor e carinho com a história, se algo precisar ser explicado, eles vão fazer um teatrinho amigável e divertido, em que o Mario vai ser todos os personagens na maioria das vezes.

Perfeitinha

Os personagens ficam melhores justamente pelo seu cast, que é bem versátil e diferenciado. Além do Mario que se expressa graficamente e de jeitos engraçadinhos, o Mallow é o mascote, fofinho e dedicado, chora fácil e é bem emocional, mas muito forte. Geno é um alienígena, divertido e gentil, que só parece desagradável porque escolheu um corpo muuito diferente da própria personalidade pra habitar. Bowser é fofo de uma maneira muito diferente, um pouco tsundere tbh. Ele tenta sempre ser legal e parecer forte, mas acaba se abalando por muitas coisas na história, como perder sua fortaleza, e tenta mascarar seu desejo de se unir ao Mario fazendo ele ser forçado a entrar pra sua tropa Koopa, que o Mario finge aceitar pra deixar ele feliz. E a Peach é só simplesmente adorável, e se junta a party simplesmente porque ela quer. Fofinha e expressiva, curiosa e ingênua. Um amorzinho.

Esse jogo é muito melhor do que a superfície mostra, sendo um jogo bem simplezinho e até que habitual, uma experiência nova feita com pouco e que pode ser terminada em pouquíssimo tempo, com um jogo baseado em ações e menos em pensar. Recomendo pra qualquer pessoa porque não tem como Mario ter uma aventura melhor em RPG.

Um comentário

  1. Muito bom a forma como você se expressa. Sinto que tô ouvindo uma pessoa próxima me indicando o jogo e explicando o motivo. Inclusive, acho que foi incentivo o suficiente para eu tentar começar ele ainda esse ano!

    ps: dei uma leve risada no comentário da foto do Bowser

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s