Luigi’s Mansion e a fantástica era do Gamecube

Eu amo o Gamecube de paixão. Foi uma era mágica da Nintendo, com suas maiores experimentações temáticas e provavelmente o melhor humor que todas as suas franquias já tiveram. Muitos dos melhores jogos da empresa estão no Gamecube, e qualquer pessoa que teve um na época ou depois, ou que jogava por emulador, tem ótimas memórias do console. Nessa época qualquer coisa era possível, como um Link profundamente escrito, um Mario de futebol “violento”, um Pokémon muito mais sério e por vezes pós-apocalíptico, ou… um jogo do Luigi de terror.

Luigi’s Mansion (2001)

Luigi’s Mansion é uma ideia insanamente divertida de se pensar, que expande de maneiras impressionantes o universo da franquia. Além de fixar uma personalidade para o Luigi, é um jogo que dá o destaque que ele sempre mereceu, em uma aventura que não é nada como qualquer coisa que a Nintendo tenha lançado. A experimentação não parou apenas no conceito, pois o próprio gameplay, a câmera, a trilha sonora e level design são um conjunto de ideias muito criativas e inesperadas, que criaram outra sub-franquia de Super Mario para se juntar a Wario Land e Yoshi Island.

Joguei Luigi’s Mansion em stream no Recanto do Sustão, e tive uma experiência muito boa, embora longa até demais para um jogo que é razoavelmente curto. Foi minha primeira vez com ele, então eu não sabia nada sobre a franquia, e por isso também não joguei os títulos futuros. Esse texto é uma visão de uma outsider, que ainda pretende jogar todos os outros.

A primeira coisa que imediatamente chama a atenção em Luigi’s Mansion é sua atmosfera diferente. Primeiramente, é um jogo que tem forte inspiração no gênero Survival Horror, especialmente na sua progressão. Você explora essa mansão por corredores escuros em busca de chaves e outras maneiras de abrir uma porta seguinte. A gameplay é aliada de uma câmera fixa muito interessante que nunca muda seu ângulo. O jogo usa esse único ângulo de maneiras muito inteligentes.

Mas, a parte mais importante da atmosfera é a música. Luigi’s Mansion tem, de certa forma, apenas uma melodia. A música tema vai tocar de muitas maneiras diferentes que variam por sala, por ela estar acesa ou não, ou por você estar dentro ou fora da mansão. Algumas vezes, Luigi vai cantar ela também de uma maneira muito característica e memorável. Essa música é maravilhosa e muito divertida, e é usada principalmente na ambientação de cada sala que você entra, assim como a ausência dela é muito importante para a atmosfera misteriosa de Luigi’s Mansion.

Nesse jogo, nós também recebemos o protagonista perfeito. Luigi pode ser muito medroso, mas ainda tem coragem e está disposto a qualquer coisa para salvar seu irmão. O pobre homem saiu traumatizado depois das suas experiências na mansão, mas nunca desistiu. A dublagem perfeita do Martinet deu vida ao personagem de um jeito inacreditável, fazendo dele um dos mais carismáticos da franquia. É um personagem muito fácil de gostar e de se importar, além de ser um homenzinho muito engraçado.

Algo fácil de perceber pela caracterização do Luigi é que nessa época, os personagens da franquia mostravam personalidade até demais. Os jogos não poupavam esforços para fazer deles divertidos e únicos, mesmo que fossem simples de descrever. É muito fácil notar isso em jogos de esporte do Mario, como Mario Tennis, Golf ou Strikers, mas os jogos individuais dos personagens facilmente traziam toda essa personalidade a tona. Luigi’s Mansion é um dos melhores exemplos disso. Talvez eu seja uma criança estúpida mas quando o Luigi atendeu um telefone e disse “hallo?” eu… eu ri muito da voz dele. E pode ser que ele não tenha dito mas mesmo que só por texto, quando pergutaram “quem tá falando?” e ele disse “it’s Luigi!” imaginar ele falando me fez rir de novo. Eu amo esses carinhas de Mario.

Similarmente, durante toda a playthrough em stream eu e meus amigos ficamos rindo de toda vez que Luigi interagia com um móvel e só bimbava ele. Não consigo raciocinar por que a Nintendo achou que ia ser uma boa ideia a animação do Luigi chumbando os móveis, mas fez todos os casinhas rir. Eu amo esse tipo de diversão que os jogos dessa época traziam, especialmente no Gamecube e 64.

Antes de terminar o texto que é razoavelmente bem curto, precisamos falar sobre a gameplay. Luigi tem três habilidades principais: A sua lanterna, aspirar fantasmas, e atirar coisas de seu Poltergust. Adicionalmente, ele também tem uma câmera que ao tirar foto de algo pode te dar dicas importantes ou só um comentário engraçadinho do Luigi.

A gameplay se baseia em, primeiramente, achar um fantasma. Então, você precisa apontar a lanterna para ele a fim de congelá-lo. Todos os fantasmas funcionam diferente, mas então você precisa usar seu Poltergust para puxá-los. Aspirar os fantasmas é mais difícil do que parece, porque eles vão tentar fugir e você precisa puxá-los mais forte. Você usa seus dois analógicos para isso, um para se mover na direção contrária do fantasma, e o outro para puxar seu Poltergust na direção contrária dele para trazê-lo à força.

Um aspecto importante de Luigi’s Mansion é que esse é um jogo completamente focado em puzzles. Cada fantasma tem sua própria maneira de “mostrar seu coração”, que é o que permite que você o aspire. Alguns pedem que você os atinja com um elemento que você pode conseguir progredindo no jogo. Mas a maioria deles pede um método específico só dele, como aspirar toda a comida dele, ou abrir uma janela para fazer vento entrar, talvez mexer nas coisas dele ou apontar sua lanterna para uma esfera. Cada fantasma de galeria (os maiores com design original) é único e tem sua própria história, nome e, obviamente, método para ser vencido. Dessa forma, cada fantasma é fundamentalmente um quebra-cabeça a ser montado.

Mas acontece que seu objetivo no jogo é achar o Mario, não aspirar todos os fantasmas. Dessa forma, Luigi’s Mansion conta com bastante exploração. A progressão completamente linear não pede que você visite todas as salas que estão disponíveis, ou que vença todos os fantasmas ou aspire todos os Boos. Você pode fazer isso se quiser como um adicional para tentar completar o jogo no seu 100%. Isso também vai te dar muito dinheiro, e dinheiro nesse jogo é usado para alterar o final dele.

No fim de Luigi’s Mansion, todo o dinheiro que Luigi conseguiu é usado para comprar uma nova casa. Assim, sua exploração também vai mudar o final do jogo de uma maneira muito similar a… quase todos os Wario Lands. Admito que não foquei nisso porque não achei tão divertido quanto só pegar todo fantasma que eu achasse, e terminei o jogo faltando apenas um fantasma de galeria para completar tudo, e uns dez Boos. Pretendo revisitar a mansão mais vezes para tentar conseguir tudo.

Peguei Rank F

Mas, até lá, isso é tudo sobre Luigi’s Mansion. É um jogo divertido e muito criativo que me fez dar boas risadas, e agora, espero que tentem jogar para se divertir também. Bom Halloween para vocês, e boa noite.

YOU’RE GONNA CARRY THAT WEIGHT

Publicidade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s